14:42 sexta-feira, 15 dezembro , 2017
Últimas Notícias
Capa / Brasil / Falta de mão de obra qualificada afeta Sudeste e indústrias de Minas
Falta de mão de obra qualificada afeta Sudeste e indústrias de Minas

Falta de mão de obra qualificada afeta Sudeste e indústrias de Minas

O número de desempregados no Brasil beira os 14 milhões. A busca por uma vaga no primeiro emprego é crescente e a tentativa de se recolocar no mercado é constante. Por outro lado, há setores da indústria carentes por profissionais com mão de obra qualificada. O Sudeste é a região com maior necessidade de profissionais capacitados em ocupações industriais. São mais de 1 milhão e 48 mil vagas para profissionais com formação para trabalhar na indústria. O Sul vem em seguida, com 350 mil profissionais, seguido do Norte com 247 mil. Sobra trabalho e falta gente treinada para áreas como a construção civil, a metalurgia, as tecnologias da informação, em montadoras de veículos e em fábricas de roupas e calçados.

Um levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, o Senai, revela que a baixa formação técnica de jovens no país tem sido um obstáculo para o desenvolvimento profissional e para a aceleração da economia. De acordo com o Mapa do Trabalho Industrial, o Brasil terá de qualificar 13 milhões de trabalhadores em ocupações nos níveis superior, técnico e de qualificação entre 2017 e 2020 para atender a demanda.

Minas Gerais é um dos estados que mais sente essa baixa qualificação. Montadoras como a Fiat, em Betim, e a Mercedes, em Juiz de Fora, se juntam a indústrias de alimento, mineradoras e construtoras na busca por técnicos capazes de lidar com a modernização do mercado. Deputado federal pelo PT de Minas, Reginaldo Lopes é um dos que defende uma reforma no ensino médio no Brasil. São mudanças que valorizariam tanto as áreas de formação no ensino superior quanto do técnico. Para ele, é importante também estar atento às necessidades regionais, principalmente dentro de Minas.

Eu acho que nós temos que construir uma política de desenvolvimento regional para enfrentar inclusive os contrastes regionais. Nós temos um estado rico, muito rico, é um estado muito plural, que se aplicar uma mão de obra qualificada, uma cultura de empreender e empreendedorismo em várias regiões. É possível despertar novos investimentos, novos empreendimentos, a partir da própria formação do seu próprio povo naquelas cidades, naquelas regiões.

Cursos técnicos em Minas

Em Minas Gerais, a educação profissional é ofertada por institutos públicos e privados. O Instituto Federal de Minas Gerais, por exemplo, oferece cerca de 16 cursos gratuitos para quem terminou o ensino médio e pretende fazer um curso técnico. Já o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, o Senai, disponibiliza cursos na área industrial gratuitos para alunos do ensino médio que pretendem ingressar no programa Jovem Aprendiz e querem uma oportunidade de aprender uma profissão nova antes de entrar no mercado de trabalho.

O Colégio Técnico da UFMG é outra opção pública para quem quer investir na carreira. O COLTEC oferece cursos gratuitos de Técnico em Análises ClínicasTécnico em Automação IndustrialTécnico em EletrônicaTécnico em Informática e Técnico em Química. Além dos citados, o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais também promove cursos gratuitos em diversas áreas como Eletrônica, Mecânica, Moda, Meio Ambiente, entre outros.

Em instituições privadas, uma opção é o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, ou Senac, que possibilita cursos técnicos, livres e de graduação.

Por Hédio Júnior e Larissa Alves

 

Scroll To Top