14:48 sexta-feira, 15 dezembro , 2017
Últimas Notícias
Capa / Agricultura / Liberação de novas outorgas preocupa ribeirinhos do principal afluente do Rio Paracatu
Liberação de novas outorgas preocupa ribeirinhos do principal afluente do Rio Paracatu

Liberação de novas outorgas preocupa ribeirinhos do principal afluente do Rio Paracatu

O Rio Paracatu, principal afluente do São Francisco está quase sem água. Há quatro meses não chove forte na região. O nível está tão baixo que há mais ou menos dois meses, em alguns trechos é impossível navegar, porque o motor dos barcos pega na areia do fundo. No leito do rio é possível caminhar tranquilamente com água na altura do joelho.

Essa foi a constatação da equipe do Globo Rural em visita ao Rio Paracatu esta agonizando. Um problema agravado pela ausência de chuvas e uso da água de seus afluentes de forma excessiva.

A liberação de novas outorgas no maior afluente do Rio Paracatu

População que utiliza água do Rio Preto demonstra a preocupação com o maior afluente do rio Paracatu. O Rio Preto é responsável por cerca de 25,29% da vazão do Rio Paracatu. A reclamação é sobre o grande número de pivôs abastecidos com a água do rio.

Visitamos o trecho do rio que fica nas divisas dos municípios de Unaí e Dom Bosco, percorrendo o rio através de embarcação, visualizamos vários pontos de  captação instalados nas margens para uso na irrigação e dessedentação animal. Conforme a imagem abaixo podemos verificar a quantidade de outorgas autorizadas pela ANA-Agência Nacional das Águas no curso do rio.

Piramide Verde :Locais com concessão de outorgas para irrigação e dessedentação animal.

Uma situação em particular que nos chamou bastante atenção, foi uma grande obra que uma usina de açúcar e álcool instalada naquela região está realizando para garantir a irrigação de lavouras de cana de açúcar.

A meses atrás a usina realizava captação de água em um outro afluente do Rio Paracatu especificamente no  Ribeirão Entre Ribeiros, a captação era realizada para irrigação, porém com a diminuição da vazão do ribeirão captação foi suspensa.

Ribeirão Entre Ribeiros

Foto demonstra vazão do Entre Ribeiros

Para garantir que a cana continue sendo irrigada, foi realizado uma grande obra de ampliação, em um ponto de captação já existente, a ampliação utilizará bombas anfíbias com capacidade de operar dentro e fora da água com o mesmo equipamento de alta performance e desempenho com potencia de 300 cv, uma média de captação de 3.565m³  de água por hora para abastecer uma adutora que vai transportar água à uma distância de 3.4 Km, para ser utilizada em pivô central que faz a irrigação de lavouras. 

 

 

A princípio a referida captação possuem autorização, ou seja,  a outorga o instrumento legal que assegura ao usuário o direito de utilizar os recursos hídricos disponíveis emitida pela ANA Agencia Nacional das Águas, sendo que a competência sobre o uso da água desse afluente é da União.

O  questionamento da população ribeirinha é quanto a quantidade de água que será captada pela usina, uma vez que no local já existia uma captação antiga, agora com os novos equipamentos que possuem um maior poder de captação a duvida é se a captação manterá a mesma quantidade informada na outorga. Ribeirinhos sugerem um acordo no sentido da possibilidade da suspensão de uso de todos os pivôs daquela região nos meses em que o rio está mais baixo.

Via de Regra a concessão da outorga é condicionada limitação de quantidade de água a ser captada, na prática a fiscalização não consegue mensurar de forma periódica e nem mesmo monitorar de forma totalmente  satisfatória a quantidade de água utilizada por cada outorgado. 

 

 

 

Scroll To Top